9 motivos que fazem os brasileiros desistir de morar no Canadá 76


E quando o plano de imigrar ou morar no Canadá não conta com certas variáveis que dependem muito de você? É aprimorar e mudar de ideia

A expectativa em torno da conquista de uma vida melhor após imigrar ou morar no Canadá muitas vezes é abafada pelas dificuldades e pelos obstáculos vindos de falhas no planejamento. Encarar a realidade para a conquista de uma vida nova fora do país parece fácil à distância, mas fatores como saudade da família, baixas temperaturas e orçamento defasado gera outros problemas que frustram a experiência de morar no Canadá.

Quer saber mais sobre o eTA? – Isenção de Visto Canadense para Brasileiros – Autorização Eletrônica de Viagens para o Canadá >>>

 Se você quer conhecer o Canadá primeiro, antes de morar, recomendamos ver sobre Visto de Turismo

Perceber isso antes de investir em um plano audacioso de imigração pode ser a solução para conseguir alçar um voo mais realista e viver uma experiência muito mais positiva nesse caso: estudar inglês ou entrar em uma universidade no Canadá.

Quer saber se seu plano de imigração está redondo ou é uma furada? Veja essas 9 razões que podem fazer você enxergar que estudar no Canadá pode ser a melhor decisão para o momento:

 

Morar no Canadá não é tão fácil

Dificuldade para conseguir emprego no Canadá

Começamos por um item polêmico, pois a imagem que se vende do Canadá é de um lugar próspero, onde se troca emprego sem grandes traumas para a carreira, onde pessoas mais velhas ou mulheres com filhos costumam não sofrer discriminação no mercado de trabalho. Mas é sempre aconselhável o cuidado com expectativas demais antes de experienciar a realidade, não é mesmo? Assim como os vídeos dedicados a mostrar a vida no Canada para brasileiros que ainda não imigraram, as missões de recrutamento pouco comentam sobre dificuldades que o imigrante sem emprego prévio enfrenta no país.

Emprego no Canadá

Não consegue emprego? Porque será?

Sem desconsiderar os casos bem-sucedidos, em média, para conseguir um emprego no Canadá é necessário a dedicação, estudar e respeitar o perfil de cada empresa, foco e paciência, pois levar pelo menos três meses para conquistar um emprego é bem comum. Em alguns casos e áreas a “peregrinação” pode durar um ano e nem sempre o planejamento e recursos financeiros aguentam esse baque, mesmo se o imigrante optar por um emprego em que a remuneração seja menor.

Para quem ingressou em uma universidade canadense, a chance de conseguir um emprego para o cônjuge acompanhante (Work Permit) ou para o próprio estudante com a permissão para trabalhar no Canadá não são precisas. Apesar das baixas taxas de desemprego que o país apresenta, o mercado de trabalho canadense tem lá seu lado moroso para quem acabou de chegar no país com nenhuma experiência local.

Saiba como funciona a permissão de trabalho no visto canadense de estudante

Outro fator que faz muita gente abortar o plano de morar no Canadá é não ter suas expectativas sobre carreira correspondidas. A verdade é que, salvo algumas exceções, os trabalhadores estrangeiros, assim como suas trajetórias profissionais, são meros desconhecidos no mercado de trabalho canadense. Por mais bem-sucedida que seja a marca da empresa que você trabalhou no Brasil, se ela não tiver algum tipo de reconhecimento internacional, dificilmente sua vivência por lá saltará aos olhos do recrutador. O mesmo vale para os cargos de chefia que ocupou nessas empresas.

 

Erro no planejamento financeiro

Já citamos alguma coisa no item anterior, mas a questão financeira realmente merece especial atenção no planejamento de morar no Canadá.

Talvez a dificuldade maior para o imigrante seja lidar com dinheiro sem uma fonte de renda garantida na sua chagada ao Canadá, principalmente para quem partiu do Brasil sem perspectiva de retorno, logo, se desfez de móveis, carro, imóvel e outros bens que ajudaram a reunir a quantia exigida pela imigração.

O custo de vida nas cidades canadenses conta muito, inclusive para os intercambistas e nem todos conseguem resistir as promoções, aos presentinhos para enviar a família e amigos, as lojas cacarecos úteis ao custo de 1 dólar, a conhecer a culinária local e gastar dinheiro comendo fora. Isso pode ter um impacto devastador no seu orçamento e sem dinheiro e meios de se sustentar não há vida que se sustente

 

Distância dos familiares

Ok, seu planejamento está correto e seus riscos nos itens acima são baixos, mas nem só de planilhas se faz um planejamento de sucesso e é nessa hora que fatores pessoais podem tomar proporções inimagináveis para quem vai morar no Canadá.

A saudade da família, da segurança gerada pelo círculo de amizades e das relações no Brasil e até a falta de coisas simples e típicas da terra natal tomam peso de ouro.

A insegurança, o medo de nada dar certo, os “nãos” nas entrevistas de emprego, não ter amigos próximos… Há quem só conheça a importância do suporte familiar em um momento extremo como esse e muita gente declina dos sonhos nesse momento.

Além do sentimento, a razão bate a porta quando o assunto é mudar de país. É doloroso e cruel pensar nisso, mas há grandes chances de enfrentar a dor da morte de um familiar à distância, sem condições de bancar uma viagem às pressas para o Brasil. Isso é apavorante para muita gente, até para os mais durões.

Quem vai estudar inglês, entrar na universidade ou college [uma modalidade mais curta de curso] acaba por ter mais segurança e menos ansiedade quanto a distância e falta dos familiares.

Frio no Canadá

Está com frio? Imagina eu!

Frio

Parece falácia, mas nenhuma geada no Brasil se compara com o típico inverno canadense, aquele da neve que serve de cenário para as fotos de férias.

Apesar de estações bem estabelecidas, o desconforto no inverno beira ao desespero para alguns brasileiros. Além das agressivas baixas temperaturas, que podem chegar facilmente aos -25°C, as adversidades com os ventos, o risco de tempestades de neve e as chuvas toram a estação ainda mais inóspita.

Frio no Canadá

Frio nada! Estou preparada >>

Isso explica muito a escolha dos brasileiros pelos cursos de inglês no Canadá. O sucesso dos cursos durante a primavera e verão canadense está muito ligado a temperatura do país nessa época.

Criar uma analogia com o que o visitante suporta fazendo turismo no Canadá é injusto, pois a estrutura exigida para enfrentar dignamente o inverno vai além de roupas e botas de neve, selfies boomerang com os floquinhos caindo e bonecos de neve feitos com a família. Quem vai estudar inglês por 24 semanas também tem outra relação com o frio intenso, pois além de saber que talvez seja o único inverno que vai passar por lá, ainda costuma aproveitar muito as estações de esqui fazendo turismo. Calefação residencial gera custos, máquina para tirar gelo da calçada gera custos, pneus de neve também não são de graça. Enfim, no Canadá, frio não é coisa para amadores e muito menos atração turística para qualquer hora.

Não se adaptar a nova cultura

Acolher a várias culturas e promover a qualidade de vida a cidadãos e estrangeiros fez do Canadá um dos países mais procurados para imigrar. Paralelo a isso, as expectativas em torno do dia-a-dia são ótimas, mesmo com as adversidades cotidianas. Mas vamos dar a necessária relevância ao ditado que “quanto maior a expectativa, maior a decepção”.

Casos de violência, os desafios de imigrar para o Canadá com a família, preconceito e discriminação com imigrantes em contrapartida com os benefícios que o país oferece. Sim, o Canadá não é o paraíso e muita gente não se dá conta disso até morar lá.

As diferenças culturais vão além da segunda língua, na realidade, os diversos sotaques, crenças e estilos se tornam desafiadores para quem tem dificuldades de relacionamento. Isso não se refere apenas no convívio nas ruas. Nem todas as empresas canadenses têm como proprietário alguém nascido e criado lá. Empreender no Canadá é uma realidade para muitos, consequentemente, se tornar empregador também. Quem não estiver preparado para a diversidade cultural e de gênero ainda no Brasil, não estará no Canadá. Isso torna a vida traumática no país.

Outro ponto interessante de mencionar é em relação aos intercambistas que vão estudar inglês no Canadá e não conseguem se adaptar com a host family. É comum os jovens sofrerem com essa imersão em uma cultura totalmente diferente pelo simples fato de nem sempre a família acolhedora ser nativa. Os atritos podem ir de uma inicial dificuldade com o sotaque/idioma até não tolerar uma culinária típica, por exemplo. Mas isso passa, está ai mais uma vantagem para passar apenas uma temporada no país. Vale a autorreflexão sobre qual a relação com diferentes culturas e estilos de vida.

 

Violência

De certa maneira, isso é uma novidade nos noticiários diários do Canadá e é da cultura do país não incentivar o sensacionalismo na cobertura. Os casos isolados e localizados em áreas com mais ocorrências policiais estão cada vez mais comuns em bairros considerados mais pacatos.

Já foi o tempo em que o cuidado com a violência se restringia as gangues que disputam espaço e clientes para a venda de drogas. O aumento da criminalidade e da violência em cidades como Toronto e Vancouver é preocupante. Episódios como ataques a motoristas de ônibus em Toronto, os crescentes casos de abuso sexual e violência doméstica, os furtos de carros e em casas cresceram consideravelmente na última década. Nada comparado aos números acachapantes brasileiros, mas esses casos estão cada vez mais próximos de todos.

Pensar em ir com a família inteira para o Canadá [ou formar uma lá] não deve excluir questões como essa.

 

Depressão

Esse item complementa o “Frio” mencionado acima. Os casos de depressão em países de inverno rigoroso como o Canadá preocupam as autoridades a ponto de estabelecer longas férias escolares durante a estação para que estudantes possam usufruir do convívio com familiares e amigos longe das obrigações escolares.

Depressão

(Un)Happy?

Para os que trabalham e precisam arcar com suas despesas a coisa muda de figura. Elas continuam trabalhando e enfrentando o pouco sol, o céu nublado e as mudanças fisiológicas que isso acarreta. A distância da família, a saudade de amigos e parentes e o frio são fatores impactantes para a saúde dos brasileiros que moram no Canadá. Os casos de depressão entre os imigrantes são comuns e, via de regra, as notícias que envolvem os casos de suicídio, inclusive entre os canadenses, causam ainda maior impacto.

Não conseguir alterar o status do visto, ou renovar

Cada pessoa encontra uma forma de imigrar que se adeque a seu perfil. Imigrar por estudo tem sido a alternativa para quem almeja elevar suas qualificações durante a aplicação do Express Entry. Entretanto, nem todos estão com o idioma em dia e o intercâmbio para estudar inglês acaba sendo a alternativa.

Para fazer intercâmbio no Canadá e estudar inglês é indicado o visto canadense de turista. Com exceção de quem faz o Pathway, um preparatório de idioma para o college, onde o visto canadense de estudante é aplicado, se a ideia é prosseguir com os estudos em uma universidade é preciso mudar o status do visto de turista para visto canadense de estudante. Daí é necessária outra comprovação financeira que demostre as condições de arcar com os custos da universidade ou college e com as despesas pessoais durante o período da viagem.

Quando o programa de estudos conta com o adicional de PGWP (Post-Graduation Work Permit) é preciso que o estudante comece e trabalhar imediatamente ao termino do curso para não perder esse direito e ter que retornar ao Brasil, caso não consiga mudar o status do visto.

Para todos os casos em que a mudança de status de visto garantirá a permanência do brasileiro futuro imigrante no Canadá é interessante planejar e ter antecedência na solicitação para diminuir o risco de ter o visto canadense negado e ficar ilegal no país, evitando tumultos e imprevistos na sua estratégia de imigração.

 

Errar na estratégia

Para cada perfil existe uma forma interessante para imigrar, mas uma escolha errada pode fazer esse jogo mudar trazendo frustração e causando a desistência. Saber lidar com dinheiro seja qual for o plano e ainda no Brasil é um passo fundamental para manter o foco e a tranquilidade no Canadá.

Tendo dinheiro a mais ou contado, saber a melhor forma de aplica-lo na sua viagem é que faz a diferença. Veja os exemplos:

Quando o foco é tentar imigrar por trabalho, os exemplos são variados. Nem sempre o imigrante é um trabalhador qualificado com formação superior. Para estes, as vagas de trabalho também são válidas para permanecer no país enquanto estuda e batalha uma vaga de emprego dentro dos NOC 0, A ou B, investir no Canadian Experience Class ou mesmo para aumentar a pontuação do Express Entry. A paciência é uma virtude no processo de imigração. Quem não tem essa aptidão o melhor é não investir nessa estratégia.

Se a pessoa tem inglês básico e precisa de uma imersão no idioma antes de ingressar em um college ou numa universidade canadense, é imprescindível entender o que mais vale a pena: investir em cursos no Brasil ou em um intercâmbio no Canadá? Isso diminui o risco de perda de foco, desperdício de dinheiro e atraso na conquista do objetivo. Estudar inglês fora é uma experiência que agrega em vários sentidos e vale muito a pena como “reconhecimento de terreno”, o que inclui entender o estilo e custo de vida locais, como é seu comportamento morando temporariamente fora do Brasil e como é fazer network em outro idioma.

A cobrança em torno do sucesso do projeto de imigrar para o Canadá não é somente de quem vai embora do Brasil, a família, os amigos e o círculo social criam uma expectativa enorme que pode ser encarada como pressão, fator que impede muita gente de pedir ajuda quando as dificuldades aparecem ou os erros vão minando seus sonhos até a desistência. Por isso, se existe uma fórmula para evitar isso ela se chama conhecimento não apenas autoconhecimento.

Você deseja saber mais sobre imigração  ou somente visitar o Canadá ?

 

Se vai visitar, veja este e-book com dicas do que fazer grátis no país

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Sabe tudo sobre o Canadá. Não tenha vergonha e Pergunte agora >>>

Quer ajuda? Escreva direto para o autor: alexandre@vistoparaocanada.com.br


Alexandre Luis Pedrosa

Sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.

Escreva para nós aqui >

76 pensamentos em “9 motivos que fazem os brasileiros desistir de morar no Canadá

  • Alessandra

    Eu sei que não é fácil, nunca é, algumas de suas colocações não me preocupa, como o frio, adoro o frio e neve, é um dos motivos para ir e mesmo que eu fosse morar em Marte, a distância ainda iria ser pequena quando se trata da minha família, choque cultural não é um problema, sou cabeça aberta, sem nenhum tipo de preconceito ou descriminação, adoro aprender sobre novas culturas, mas não posso responder se os canadenses ficaram ou não incomodados com a minha presença, acho que cabe a eles manter a cabeça aberta também, eu diria que minhas maiores preocupações são a procura de trabalho, mas o que faço não é valorizado aqui, então não tenho muito a perder mesmo e custo de vida, mas pretendo fazer uma pesquisa geral e poupar para poder viver pelo menos um ano sem trabalho, é uma oportunidade única de ter uma vida melhor, pois nunca senti que meu lar era aqui no Brasil, talvez lá, eu consiga finalmente me sentir em casa.

  • Karine

    Alexandre perfeito as suas colocações! E ela cabe muito bem a qualquer lugar que se deseja migrar. Acabei de voltar da Califórnia, onde passei um período de 6 meses e realmente a falta de paciência, distancia da família e a pouca fluência no idioma me fizeram voltar. Essas formas de informações são essenciais para a pessoa que tem esse plano de mudar de país!