Desvendando os mistérios de como comprovar vínculos sociais e recursos financeiros para tirar o visto canadense 146


Se existem duas coisas que geram muitas dúvidas e amedrontam algumas pessoas no processo de visto canadense é a parte de comprovação de vínculos sociais com o Brasil e a comprovação de recursos financeiros.

Quem começa as pesquisas sobre o visto de turismo canadense ou visto de estudante -seja para contratar um despachante de visto, ou fazer o processo sozinho pela internet -, logo nota quão detalhadas e objetivas são as informações e documentos que devem ser apresentados à imigração canadense.

Diferente do visto americano, na aplicação para o visto canadense não existe entrevista como parte do processo, a não ser em casos extremamente especiais, onde nenhum dos vistos de residente permanente e permissões de estudos e trabalho se encaixam. Por isso, o “tête-à-tête” do visto para os Estados Unidos é substituído pelo processo detalhado e burocrático do visto canadense.

Para os viajantes inexperientes, o processo pode assustar por conta da quantidade de informações solicitadas, mas não é preciso temer. As chances de ter sucesso na solicitação de visto canadense aumentam tendo atenção ao que é solicitado, organizando suas informações pessoais e entendendo o que é preciso para comprovar vínculos sociais e financeiros.

Solicitar um visto internacional não é uma tarefa do dia a dia. É muito normal aparecerem dúvidas a cada passo do processo – basta lembrar a correria em épocas de declaração de Imposto de Renda -, por isso, contar com um profissional como o despachante de visto é essencial para as pessoas leigas, com inglês menos afiado, para solicitar vistos para a família toda, ou mesmo para quem quer dedicar seu tempo para outros preparativos da viagem. Algumas das principais vantagens em contar com um despachante de visto é diminuir os riscos de erros na apresentação das informações, aumentando as chances de aprovação do visto canadense podendo contar com um expert para tirar qualquer dúvida.

Esses são pontos polêmicos do processo do visto canadense. Por mais especulação que haja, por mais blogs que existam e por mais ilimitada que sejam as informações na internet, esse ponto ainda rende casos de visto negado por inconsistência nas informações. Isso fez surgir muitos mitos e aumentar as dúvidas em relação à comprovação de vínculos para o visto canadense. Se essa é sua dificuldade, esse texto é para você.

 

O mistério por trás dos vínculos sociais para o visto canadense

Carta licença/de férias do seu empregador – Deve conter os dados da empresa (razão social, endereço, telefone...). Essa carta deve atestar seu vínculo empregatício com a empresa, se for o caso seus deveres, o salário que recebe e que você deve retornar a suas atividades após o retorno da viagem.

Para complementar esse campo de vínculos com a empresa é adequado anexar também cópias de holerites, do registro de trabalho ou contrato de trabalho, declarações do empregador com referência aos últimos 3 meses de pagamento e declarações de imposto de renda. Para quem é empresário a apresentação da última atualização dos documentos de constituição da empresa.

Comprovar vínculos familiares parece tão simples que muitas pessoas pensam em ignorar essa etapa. Certamente, isso não é aconselhável.

Para quem está indo fazer intercâmbio no Canadá, tem na apresentação das informações dos pais ou representantes legais uma grande vantagem para indicar a imigração canadense que contará com apoio, caso enfrente dificuldades financeiras enquanto estiver no país. Para isso, dê atenção a essas características dos seus pais ou representantes legais: Se eles têm renda fixa (salário, aposentadoria, pró-labores); Se eles têm propriedades.

A partir daí, providencie a documentação:

  • Comprovantes financeiros – Extratos bancários, rendimentos de empresa, comprovantes da aposentadoria;
  • Contracheque – Holerites, recibos;
  • Imposto de Renda – A última declaração do Imposto de Renda;
  • Carta de Custeio – Deixar claro nesse momento que há disponibilidade de custear despesas fundamentais para a permanência de quem está no Canadá, evitando transtornos como a inadimplência.

 

Como funciona a comprovação financeira de quem vai tirar o visto canadense?

Como não poderia deixar de ser, este momento é de muita importância e merece atenção aos detalhes, pois é preciso fazer uma boa seleção de documentos e apresentar informações de qualidade para que a imigração tenha clareza na avaliação do seu processo. Por isso, a declaração de Imposto de Renda do solicitante – e de patrocinadores, caso sejam citados na aplicação - é fundamental no processo.

A importância disso é demonstrar uma situação financeira estável e que, se o declarante tiver dívidas, tais como financiamentos, por exemplo, estes não comprometerão financeiramente sua estadia no Canadá.

Chegou a hora de saber como fazer a comprovação financeira no processo de aplicação do visto canadense

É importante ter em mente o que o Canadá precisa saber na sua comprovação financeira. Na realidade, não basta comprovar seus recursos financeiros baseado em informações recentes e inconsistentes. O que deve ficar claro é que você tem um histórico de estabilidade financeira, eliminando a hipótese que o dinheiro pode ter aparecido apenas para o processo de visto. Logo:

  • Anexe extrato bancários adquiridos no banco dos últimos 3 meses;
  • Comprovantes de investimentos, inclusive bancários;
  • Declaração de Imposto de Renda.

Para as pessoas que vão fazer intercâmbio no Canadá por mais de um ano é imprescindível comprovar recursos suficientes de acordo com o indicado pelo Governo Canadense, onde o estudante deverá apresentar o valor correspondente a 1 ano de curso + os CAD$10.000 (CAD$11.000 para a província de Quebec) equivalentes a uma pessoa vivendo no Canadá.

 

E como fazer a comprovação financeira de autônomos?

Para esse procedimento considere usar os serviços de um contador que vai elaborar corretamente o livro caixa para apresentação do Decore, o documento que comprova a renda do autônomo.

O que não é obrigatório, mas ajuda.

Quem estuda pode solicitar junto à instituição de ensino a declaração que comprova seu vínculo. Quem é formado e tem cursos secundários (pós-graduação, mestrado, doutorado), providencie as cópias dos diplomas ou certificados.

Se essa não for sua primeira viagem internacional, apresente seu histórico de viagem com as cópias das páginas do seu passaporte (mesmo se já estiver sido trocado).

Tenha atenção às informações que vai prestar.

Caso sua ida ao Canadá seja com a finalidade de visitar um parente ou amigo que esteja legal no país e você informar isso na sua solicitação de visto, seja coerente e anexe a carta convite, onde as principais informações são a declaração do residente permanente que vai receber sua visita, se esta pessoa vai te hospedar (informar endereço), o que ela faz no Canadá e que está disposta a prestar apoio no país. Apresente também documentos que comprovem a residência permanente ou cidadania canadense desta pessoa.

 

Como fazer a carta de intenção?

Essa é mais uma carta que está presente no processo de visto, logo é um documento formal, se concentre em passar informações realmente pertinentes. Além de fazer sua apresentação pessoal com dados básicos, essa carta é designada a ser uma espécie de resumo das razões que estão te lavando ao Canadá.

Declare o tipo de visto e a intenção real da viagem. Se for turismo, descreva brevemente o que pretende fazer e em quantos dias, se vai viajar pelo país, se tem ingressos para atrações já comprados. Os estudantes, mesmo para intercâmbio de idiomas, aproveitam esse espaço para descrever a importância desse aprimoramento para sua vida pessoal, profissional e acadêmica no Brasil. Tenha muito cuidado para não deixar lacunas ou expressões que faça a imigração canadense desconfiar de você. Caso sua viagem seja para conhecer o país ou fazer um curso lá para prosseguir com planos de morar no Canadá não é nesse momento que isso deve ser comentado. Se o visto é de estudo, fale de estudar e voltar. Se for visto de turista, fale da sua estadia e deixe clara a intenção de voltar ao Brasil.

Apesar das exigências, o visto canadense tem um processo relativamente simples, mas detalhado. Por isso, o papel de um despachante de visto talvez seja fundamental para um melhor desempenho em todo o processo de aplicação do visto.

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Sabe tudo sobre Visto para o Canadá. Pergunte!

Quer ajuda? Escreva direto para o autor: alexandre@vistoparaocanada.com.br

 


Alexandre Luis Pedrosa

Sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.


Escreva para nós aqui >

146 pensamentos em “Desvendando os mistérios de como comprovar vínculos sociais e recursos financeiros para tirar o visto canadense

  • deborah rodrigues lopes nunes

    ola Alexandre!
    gostaria de saber se necessariamente preciso ter carteira assinada pois tenho somente contrato de trabalho
    para comprovar meu rendimento mensal será que consigo ter o visto aprovado?
    agradeço desde de já!
    obg boa noite!

  • Kamila

    Alexandre, bom dia. Se possível, me ajude com uma informação 🙂

    Sobre a comprovação financeira para o visto de estudo, basta um extrato simples do banco (aqueles emitidos por bankline) ou é importante que a emissão desse documento seja realizado pelo próprio banco. Obrigada!

  • Gessica

    Alexandre, estou com uma grande dúvida. Não tenho emprego formal, consequentemente não tenho declaração de imposto de renda. Não faço minha movimentação financeira por conta bancária. Não uso cartão de crédito. Mas tenho uma quantia boa em dinheiro. Pretendo ir ao canada em lua de mle( me casei em janeiro e esperamos estar mais quente para conhecer o país). Em compensação, já sai do país diversas vezes no passado e meu marido tem filho pequeno aqui. A única atividade laboral formal que desempenhamos é ser presidente e diretora de uma associação sem fins lucrativos. É possível conseguir o visto ou é melhor esquecer?