Trabalhar no Canadá: Você sabe quais as diferenças dos seus direitos em relação ao Brasil?


Para mudar de país e de vida, os brasileiros que querem trabalhar no Canadá precisam conhecer as diferenças nas leis e salários para evitar sustos

Qual a carga horária de trabalho no país? Como são as férias? Qual o dia de pagamento nas empresas canadenses? Essas são dúvidas básicas que permeiam a cabeça de quem vai trabalhar no Canadá e é inexperiente no assunto. Além disso, a busca de informações funciona como uma primeira adaptação às diferenças entre as rotinas do mercado de trabalho Canadense e do Brasil.

Trabalhar no Canadá como funciona o salário? 

A primeira grande diferença que requer um certo treino para se adaptar é a informação de salário do Canadá. Enquanto os brasileiros estão acostumados com formatos mensais, o salário mínimo canadense é informado por hora, assim como os das empresas.

Na hora de receber o salário, outra mudança. É muito comum as empresas realizarem o pagamento quinzenal ou semanalmente. O lado bom é contar com dois pagamentos mensais, mas também pode ser um bom exercício para conter os gastos semanais para não faltar grana.

Quanto as horas trabalhadas, quem opta pelos programas de estudo com adicional de permissão de trabalho, como o college e o co-op, por exemplo, deve estar atento às horas de trabalho permitidas  para seu programa, que nem sempre são as mesmas praticadas no mercado de trabalho.

Se o salário é por hora, as horas de trabalho são classificadas por semana. Nos anúncios das vagas de emprego no Canadá atente-se à relação das horas de trabalho com o salário.

 

Carga horária de trabalho no Canadá

O período integral de trabalho no Canadá (muita gente chama de full time) é de 30 horas semanais, mas há vagas de trabalho a partir de 20 horas, como acontece no programa co-op, por exemplo. Em algumas áreas de trabalho, o período integral pode corresponder a 35 horas semanais ou 44 horas, mas existem províncias onde a leis permitem mais alterações.

Os trabalhadores com perfil para ocupar postos de trabalho em profissões não regulamentadas, estão mais suscetíveis ao salário mínimo canadense, que varia de acordo com a província. Nem só as áreas profissionais tornam os salários variáveis, o nível de formação delimita a remuneração profissional em grande parte das províncias, mas é sempre bom prestar atenção nas tendências do mercado de trabalho nesses locais. Em Quebec, no ano de 2015, por exemplo, a média salarial para profissionais de nível técnico em início de carreira variava entre CAD$ 18 e CAD$ 22, para os mais experientes, a remuneração é mais robusta, podendo chegar a CAD$ 32.

Os formados e mais experientes devem se habituar às vagas de emprego com informações salariais por ano e com os cálculos de imposto de renda, pois quanto maior o rendimento, maior a contribuição. Lembrando que, o imposto de renda varia de acordo com a província.

Como quem trabalha quer (ou precisa) de descanso, vamos pular para o item “férias no Canadá”.

 

Como funcionam as férias de trabalho no Canadá?

Como não existe lei que obrigue o empregador a ceder 30 dias de férias para o trabalhador, o que se nota é uma espécie de acordo que garante a média de duas semanas de pausa por ano (5 + 5 dias úteis), em algumas províncias isso é lei, como em Ontário. A empresa também tem autonomia para gerenciar os benefícios a seus funcionários.

Há casos onde cedem inclusive participação no plano de saúde privado, dentista, plano de previdência privada e até convênios com empresas de prestação de serviços, como academia, por exemplo, outras não se responsabilizam pelo reembolso do transporte ou ajuda de custo com alimentação (a maioria delas, diga-se de passagem). Cabe ao candidato avaliar se o salário faz jus ao orçamento pessoal e gerenciar o que faz com seu dinheiro se preocupando com o presente e com o futuro, pois no Canadá não existe FGTS em caso de demissão.

A contrapartida de tudo isso está em salários mais altos que os brasileiros e cidades mais organizadas. Os serviços públicos no Canadá também são grandes responsáveis por elevar a qualidade de vida de imigrantes e cidadãos e isso, de certa maneira, é somado de maneira positiva.

 

Ah, mas cadê as coisas boas em trabalhar no Canadá?  

Uma característica forte do Canadá é promover e preservar o bem-estar do cidadão e isso se estende aos trabalhadores imigrantes. Os horários de trabalho são respeitados, não sendo comum horas extras. O dia útil geralmente começa às 8h ou 9h e termina entre 16h30 e 18h. Obviamente, que o comércio, varejo e outras áreas que oferecem serviços além desses horários tratam de administrar seus atendimentos, mas não estranhe se for passear em um shopping no final de semana e encontrar as portas fechadas às 18h. Com esse tempo “extra” é possível aproveitar as atrações locais, como as praias no verão.

Talvez uma das grandes vantagens de ser um trabalhador no Canadá envolva os direitos parentais. É comum a licença maternidade durar um ano com a possibilidade de alternar o direito com o cônjuge. A partir da maternidade ou paternidade, o funcionário pode ganhar mais condescendência dos chefes, pois a atenção com a família tem grande peso na manutenção da qualidade de vida no Canadá.

Uma curiosidade é em relação ao feriado. Se no Brasil tem demais, no Canadá é remanejado para não cair em finais de semana, garantindo assim a pausa em um dia útil.

Obviamente, que cada um sabe “onde o calo aperta” e a disposição para encarar as mudanças ao se mudar e trabalhar no Canadá. O que empolga muitas pessoas são as conquistas relatadas por brasileiros que vivem sob o aporte de um país que proporciona melhor qualidade de vida e ofertas de emprego com salários mais justos.

 

Matérias relacionadas:

Serviços públicos no Canadá aumentam a qualidade de vida de quem vai imigrar para o Canadá com a família

Profissões não regulamentadas no Canadá. Dá para imigrar?

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Sabe tudo sobre o Canadá. Pode perguntar >>>

Quer ajuda? Escreva direto para o autor: alexandre@vistoparaocanada.com.br

 


Alexandre Luis Pedrosa

Sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.

Escreva para nós aqui >