Visto Canadense

5 mitos sobre o visto canadense. Veja tudo com detalhes aqui 8


Muito se fala do processo de solicitação de visto canadense online que pode ser aplicado pelo solicitante de maneira fácil e descomplicada. Não é difícil encontrar materiais explicando como tirar o visto sozinho, ensinando de maneira genérica, um processo repleto de informações pessoais, o que facilita cair em pegadinhas, fazer coisas desnecessárias e acabar tendo o visto negado.

Vamos apontar neste material 5 mitos sobre o visto canadense para fazer dessa etapa da viagem ao Canadá uma coisa muito mais simples.

 

Mitos sobre visto Canadense – Quais os cuidados necessários?

 

  1. O visto para o Canadá nunca é negado

É fato que a taxa de recusa de solicitações de visto canadense é muito baixa, talvez por isso, não se encontre muitas informações de quem teve o visto negado em buscas pela internet. Normalmente, se fala da taxa de 5% de respostas negativas, no Brasil, da imigração canadense, mas isso acaba se tornando irrelevante para quem está com quase tudo pronto para viajar. Apesar disso, o risco existe sim.

Quando o solicitante recebe a resposta do consulado com a mensagem do visto canadense negado é preciso estudar bem os motivos para corrigi-lo para uma segunda aplicação. Temos um aqui no site um texto explicando o que deve ser feito nessa situação.

As agências e um bom despachante de visto canadense sempre deixam claro aos seus clientes como funciona o processo de solicitação de visto e que existe sim o risco de ser negado, principalmente quando a vontade de entrar no Canadá se torna maior que a capacidade de planejar a viagem e organizar os documentos pessoais para incluir no processo. Quem vai fazer todo o processo sozinho, sem a ajuda de um despachante de visto e nestas condições acaba engrossando a taxa de recusa.

 

  1. Quem teve o visto americano negado não consegue tirar o visto canadense

É muito comum relatos e perguntas sobre pessoas que tiveram o visto americano negado e temem não conseguir permissão para entrar em países que trocam informações como os Estados Unidos, como acontece no Canadá, por exemplo. Mas o que deve preocupar mesmo são as causas que fizeram o visto ser negado.

Quem cometeu algum crime, permaneceu ilegal nos Estados Unidos, são dois exemplos de pessoas que aumentam a chance de ser barrado na análise do consulado, podendo ter o visto para o Canadá negado.

 

  1. Brasileiros não vão precisar do visto canadense de turismo para visitar o país

Essa notícia veiculada recentemente em várias mídias causou um burburinho muito grande e alegrou alguns desavisados.

Entretanto, nem todos os brasileiros ficarão isentos do visto canadense de turismo quando ficar valendo essa regra para aplicação pelo ETA – Electronic Travel Authorization, que privilegia brasileiros, mexicanos, romenos e búlgaros que tem, entre outros requisitos, o visto americano válido.

Leia o material “Nem todos os brasileiros terão isenção de visto para o Canadá em 2016”  que fizemos para entender mais detalhes sobre essa mudança que entra em vigor em março de 2016.

 

  1. Comprar a passagem antecipadamente facilita o visto

Esse item representa uma das pegadinhas que citamos logo no início do texto. Obviamente que apresentar documentos e informações que demonstrem o compromisso de retorno ao Brasil é positivo no processo de visto canadense.

Os tickets da companhia aérea entram nessa lista, mas não garantem o processamento do visto. Aliás, o consulado até sugere aguardar para a compra das passagens, inclusive para quem vai fazer intercâmbio no Canadá. A garantia de aprovação do processo de solicitação de visto é representado por um conjunto de coisas, entre as quais está a comprovação financeira e recursos suficientes para se manter no país e comprovação de vínculos sociais convincentes, como explicamos detalhadamente no texto Desvendando os mistérios de como comprovar vínculos sociais e recursos financeiros para tirar o visto canadense e vale a pena ser lido.

 

  1. Entrar no Canadá com o visto canadense de turista e arrumar um emprego durante a viagem é mais fácil

Quem sonha em imigrar para o Canadá, mas ainda não é elegível para aplicar a algum programa provincial ou federal, pode considerar uma das portas de entradas ao país o visto de estudante, mas ele requer um investimento relativamente alto, pois estudar no Canadá em algum curso universitário, college ou pós-graduação é item obrigatório.

A probabilidade de em uma viagem turística ao Canadá conseguir um emprego e ter sucesso na contratação, passando por todo o trâmite legal, é quase nula. Explicamos a razão.

Quando uma empresa sediada no Canadá quer contratar um brasileiro precisa provar ao país que essa vaga não pôde ser ocupada por um canadense por não preencher os requisitos da vaga, tornando necessária a contratação de um estrangeiro. Esse processo se chama Labour Market Impact Assessment (LMIA), pode durar meses e implica no pagamento de uma taxa de CAD$ 1.000 por parte da empresa ao Governo do Canadá. Nem todas as empresas estão dispostas a investir esse tempo e dinheiro para contratar um brasileiro que não esteja com a vida preparada para imigrar para o Canadá, ou seja, que seja elegível para algum programa provincial ou federal.

Apesar de toda a receptividade do país com os brasileiros, não é uma opção trabalhar ou permanecer ilegalmente no Canadá para depois tentar regularizar a situação. O país tem regras e políticas que incentiva a boa relação com os estrangeiros, mas isso não inclui esse tipo de estratégia.

Dica: se a intenção é imigrar para o Canadá, planeje todas as etapas desse sonho, a curto, médio e longo prazo para não perder o foco nas metas e evitar acreditar que existam outras maneiras de entrar no país que não as legais.

Preparar todos os detalhes para uma viagem internacional, nem sempre é tarefa fácil, da mesma forma que, entender como funcionam os processos burocráticos de entrada no país também. Errar ao preencher os formulários em inglês por não compreender com clareza o que a imigração está pedindo, apresentar documentos a menos, perder os prazos na aplicação, se confundir com os pagamentos de taxas... Essas são algumas das razões que abordamos em um texto que lista os erros que podem adiar seu sonho de conhecer o país.

Por isso, é preciso avaliar qual a melhor forma para solicitar o visto canadense aumentando as chances de conseguir a aprovação. Escolher entre aplicar pela internet sozinho, ou contratar um despachante de visto pode determinar o atraso da viagem e transtornos desnecessários.

 

Saiba Mais:

Você quer ajuda para solicitar o visto online canadense, porém não quer contratar uma assessoria? O que acha de um curso que te ensine a fazer o visto passo a passo? Veja o curso online de visto canadense aqui >>>

 

Quer saber mais sobre Visto de Estudante para o Canadá - Study Permit >>

Vai apenas visitar o Canadá? Veja sobre visto de turismo aqui>>

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Sabe tudo sobre Visto para o Canadá. Pergunte!

Quer ajuda? Escreva direto para o autor: alexandre@vistoparaocanada.com.br

 


Alexandre Luis Pedrosa

sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.


Escreva para nós aqui >

8 thoughts on “5 mitos sobre o visto canadense. Veja tudo com detalhes aqui