Intercâmbio no Canadá: Boa convivência na escola e no homestay melhora a viagem


Manter as regras de etiquetas em dia ajuda no período de intercâmbio no Canadá 

Optar pelo homestay durante o intercâmbio no Canadá é um ato de coragem para quem não tem o hábito de ficar longe de casa e da família por muito tempo. A forma de hospedagem que barateia os programas das agências de intercâmbio nem sempre é encarada com tranquilidade pelos brasileiros que, na prática, podem viver experiências desagradáveis pelo choque de culturas ou por falta de atenção às regras impostas pelos donos da casa.

Estudar no Canada, ou em outro país no exterior, é uma coisa a ser levada a sério. Manter o foco no intercâmbio e ter atenção ao seu planejamento antes e durante a viagem, com certeza são prioridades, mas manter a boa convivência no homestay e na escola são coisas importantes na qualidade de vida durante o intercâmbio canadense e no aproveitamento das novas experiências. Ter simpatia é apenas uma das dicas de etiqueta durante sua estada no Canadá. Veja mais dicas:

 

Intercâmbio no Canadá – Como não fazer feio na homestay

Presenteie os donos do homestay – Apesar de já ser um hábito entre os intercambistas, saber o que dar de presente para os anfitriões já causa uma boa impressão logo na chegada.

A dica de presente para anfitriões no homestay é investir em coisas simples que fujam do pessoal como perfumes e roupas. Doces típicos brasileiros como, paçoca, marmelada e pé-de-moleque cumprem bem o papel. Se por ventura você tiver a oportunidade de saber mais sobre a família e isso gerar mais confiança para presentes que decorem a casa, como toalha de mesa de rendas brasileiras, por exemplo, vale a pena. Aposte também em bandeira do Brasil ou camisa da seleção.

 

Respeite as regras da casa (até as que não estão escritas) – Algumas estadias em homestay acabam em estresse pela falta de entendimento entre o estudante e a família anfitriã. Não é difícil ouvir casos de expulsão ou pedido de troca de casa por parte do estudante. Apesar de ser possível, é bom evitar.

Seja dormindo no quarto de hóspedes ou no basement atente-se aos detalhes que se referem à rotina da casa para não “dar foras”. Muitos anfitriões deixam placas e recados com os horários a cumprir para a chegada em casa, para as refeições e até mesmo no consumo de energia elétrica. Mas existem coisas que só conversando se chega num denominador comum. É o caso de poder ou não abrir a geladeira e armários, preparar seus lanches e refeições, ou chegar em casa de madrugada.

Tenha a mente aberta para responder perguntas como “Quantos banhos toma por dia?” ou até coisas mais pessoais condizentes com despesas da casa. Sinta-se à vontade para perguntar também, se sentir necessidade até anote o que precisa saber para não deixar escapar os detalhes.

 

Leve presente para os colegas de intercâmbio – Certamente essa é uma tarefa mais fácil a se cumprir. Lembrancinhas como capinhas de celular com motivos brasileiros, bandeiras do Brasil, fitinhas religiosas e docinhos podem estar na mala à disposição para novos colegas.

 

Pratique a simpatia, mas não seja inconveniente – Desde a mais tenra infância aprendemos sobre a simpatia e receptividade dos brasileiros, mas, ainda que exista quem não “carregue esses genes”, outros fazem questão de ser expansivos desde abraços e beijos até aquele bate-papo que aborda de temas mais genéricos a assuntos mais íntimos. O conselho é simples. Evite e observe até onde pode ir.

Apesar da fama de “frios” dos canadenses, os anfitriões do homestay nem sempre nasceram no Canadá, também são estrangeiros e seu preparo para lidar com o humor canadense não sirva para muita coisa. Lembre-se também que em uma casa de família acontecem conflitos e pode ser bem na sua estadia um evento desses. Evite ao máximo se envolver e “saia pela tangente”, ainda que for chamado para o debate.

 

Passeios com os donos da casa – O homestay acontece por meio de um contrato de prestação de serviço entre a família e a agência de intercâmbio, tendo o estudante como beneficiário. É bom não esquecer esse detalhe que deve ser levado a sério pelas partes. Alguns anfitriões dão abertura para conversas descontraídas, para fazer passeios com o estudante e incentivam a participação nas atividades familiares, mas treine o feeling para saber até onde vão seus limites para não ser invasivo.

 

Respeite diferentes culturas– Apesar da proporção continental do Brasil a cultura da simpatia acaba sendo um hábito da maioria das regiões. Mas convém ter prudência durante seu intercâmbio no Canadá.

Orientais, hispânicos, árabes, sul americanos… Cada país carrega sua cultura quando sai de casa e muitos têm orgulho disso. Antes e sair abraçando e beijando bochechas estrangeiras procure saber se isso não invadirá o espaço alheio.

Obviamente não precisa levar ao pé da letra e querer usar os cumprimentos ao redor do mundo com os colegas da escola. Ainda que descubra um neozelandês na turma não precisa querer parecer descolado e fazer o cumprimento da tradição Maori, encostando a testa e esfregando a ponta do nariz. Pode parecer jocoso e invasivo.

O Canadá recebe muitos orientais e todos sabem a fama de mais reservados que eles têm. Portanto, evite contatos físicos logo quando conhecer alguém. Respeite também seus limites. Mesmo sendo brasileiros, nem todos apreciam sair abraçando quem mal conhece. Já os árabes são considerados mais calorosos. Vale sempre observar e perguntar como as coisas funcionam e se valem para você. Mas o respeito às culturas vai além. Roupas diferentes, alimentação típica, religião… Em importância comparada ao aprendizado do idioma ou profissão, o intercâmbio traz a oportunidade de compartilhar culturas e estilos. Use isso para abastecer sua cultura geral.

 

Falando em lidar com colegas, claro que na escola haverá brasileiros – e isso traz alívio em muita gente -, mas o intuito do intercâmbio no Canadá é se aperfeiçoar em outra língua e isso vale como regra inclusive dentro da escola. Além de ser deselegante, forçar conversas em português ao invés de inglês ou francês chega a ser desperdício de oportunidade e de dinheiro.

 

Tenha atenção às leis da província – Novo país, novas regras. Algumas coisas são semelhantes e básicas como a ilegalidade relacionada ao porte de armas e tráfico de drogas. Mas diferenças nas leis de trânsito, por exemplo, podem causar confusão, como pode ser visto no guia para dirigir em BC, por exemplo. Se a intenção é dirigir no país durante seu intercâmbio no Canadá, vale pesquisar as leis provinciais.

Talvez o que mais chame atenção são as leis restritivas ao consumo de álcool no Canadá.  As bebidas geralmente são vendidas em lojas especiais, chamadas Liquor Stores. Os preços podem causar certo espanto, pois os impostos são diferenciados, o que tornam as bebidas alcoólicas caras no país. Esse ponto é regulamentado diretamente pelo Governo, portanto, a vigilância é constante. Do mesmo modo ocorre em relação ao consumo do álcool em locais públicos, como praças, por exemplo.

Se no Brasil manter a cidade limpa e preservar o bem público é uma questão de educação que requer campanhas constantes, no Canadá isso é uma questão cultural intrínseca que vale nas ruas e em ambientes fechados, como escolas e centros comunitários.

Pois bem. Claro que as diferenças existem, não teria como ser de outra forma, mas dar atenção a manter o relacionamento amigável na homestay, na escola e na cidade, de forma geral, praticando a etiqueta correta tornará a viagem mais agradável e aumentará as chances de manter as portas canadenses abertas para novas experiências.

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Sabe tudo sobre o Canadá: estudar, vistos, imigração e muito mais. Pergunte!

Quer ajuda? Escreva direto para o autor: alexandre@vistoparaocanada.com.br

 

 

 


Alexandre Luis Pedrosa

Sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.

Escreva para nós aqui >