Imigrantes brasileiros para o canadá

Programas para refugiados, 300 mil novos imigrantes em 2016… Isso atrapalha os futuros imigrantes brasileiros para o Canadá?


O ano de 2016 promete mudanças significativas no futuro de muitas famílias de imigrantes canadenses e novos imigrantes. Assim que John McCallum, ministro da Imigração, Refugiados e Cidadania (IRCC), anunciou de Ottawa os planos em receber entre 280 mil a 305 mil novos imigrantes até o final do ano com a prioridade na reunificação de famílias, muitos candidatos a imigrantes brasileiros para o Canadá ficaram receosos em relação a seus planos futuros de se mudar para o país.

Essa novidade somada ao programa de refugiados tem tirado o sono de muita gente que planeja para alguns anos a aplicação em algum programa de imigração canadense. A forte especulação sobre uma onde de desemprego causada pela tomada de vagas pelos refugiados que vão “furar a fila” na imigração, já foi comprada por vários brasileiros. Mas quais são os reais impactos dessas mudanças?

 

O que isso impacta para os futuros imigrantes brasileiros para o Canadá?

O que é preciso ter em mente é que o planejamento do Governo visa não somente privilegiar a uma classe de imigrantes. Obviamente o aumento de 7,4% na entrada de imigrantes em comparação ao ano passado é impactante, mas ainda é o caso de ponderar.

Segundo as previsões do Ministério a maior parte das entradas será de imigrantes econômicos, cerca de 160 mil do total. E esses devem passar pelos crivos já conhecidos: ser altamente qualificados, fluentes em inglês ou francês e se elegíveis a um programa de imigração (PNP ou Express Entry).

O que há de melhor nas mudanças para este ano é o compromisso do Governo do Canadá com as aplicações familiares, seja de cônjuges ou de quem quer imigrar para o Canadá com filhos.  A atenção diferenciada inclui um menor tempo no processo, inclusive para as aplicações já realizadas e em espera. Em Ottawa, a previsão é receber 60 mil imigrantes para reagrupar famílias e cerca de 20 mil pais e avós até o final do ano.

Com meta de 25 mil refugiados acolhidos já superada em fevereiro, o Canadá pretende fazer ainda mais em 2016, chegando a quase 60 mil acolhimentos até o final do ano.

Fato é que a disposição em mudar e incluir novas atribuições aos programas de imigração canadense não é um desafio insuperável para o Governo. Isso pode ter um lado ruim, mas as vantagens devem superar o medo. Se a receptividades às famílias aumenta, as chances de imigrar também, não ao contrário. Pois a força de trabalho é vista em dobro, assim como a contribuição para a economia do país.

Muitas informações sobre essas mudanças ainda não foram confirmadas, nem mesmo aos profissionais agentes de imigração. Logo, todo o cuidado é pouco com as especulações negativas e criação de mitos em torno dos programas de imigração canadenses, ainda que o ministro admita a diminuição de postos de trabalho em um primeiro momento.

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Sabe tudo sobre o Canadá. Pergunte!

Quer ajuda? Escreva direto para o autor: alexandre@vistoparaocanada.com.br

 


Alexandre Luis Pedrosa

sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.

Escreva para nós aqui >