visto canadense negado

5 dicas para evitar ter o visto canadense negado 44


Você fez todo o processo e na hora do resultado apareceu: visto canadense negado. E agora?! A primeira coisa a fazer é não se desesperar. Um dos pontos que fizeram do Canadá um destino concorrido entre os brasileiros foi a aceitação em relação os estrangeiros. O índice de rejeição do visto é pequeno, não ultrapassa os 5% do total requerido, segundo dados da empresa Infovistos, uma das maiores no segmento de despachante para vistos do país. E para quem apresentou inconsistência nas informações prestadas durante o processo, isso pode ser revertido em uma nova aplicação feita sem erros.

Independente da modalidade, solicitar o visto canadense depende de procedimentos, como: preencher o formulário, apresentar a documentação requerida, dentre ela as cartas de comprovação, ou as cartas convite, ou cartas de contratação e pagamento de taxa (quando necessário). O Consulado Geral do Canadá e seus oficiais de imigração analisam caso a caso quando recebem os pedidos de visto. Por isso, não poupe esforços para seguir corretamente o passo a passo explicado no site da Embaixada do Canadá, pois o CIC (Citizenship and Immigration Canada) procura seguir regras próprias para analisar os processos de forma simples e consistentes.

Por isso, escrevemos esse post para te ajudar neste processo.

Como evitar ter seu visto canadense negado?

1 – Preencha os formulários corretamente. É tão básico que parece desnecessário lembrar isso, mas para cada tipo de visto existe um grupo de formulários e ainda assim confusões podem acontecer e isso pode ocasionar em ter o visto canadense negado. Por exemplo, se a visita ao Canadá é para fins de estudo existe o tipo de visto o SX – 1, mas o visto de turista, que é o V-1 permite que o visitante estude no país, no caso idioma (modalidade de estudo comum no Canadá). Logo, é a intenção da ida (aparece no site da imigração como Purpose of Travel – Other) determina o tipo de processo a seguir na solicitação do visto. Se sua intenção é exclusivamente o turismo no Canadá, o visto a ser aplicado é o V-1. Atente-se com o que coloca nas descrições dos formulários e procure acompanhar as descrições dentro do que foi selecionado. Por exemplo, se sua viagem é a turismo, descreva seu roteiro, atrações que pretende conhecer, as datas dos eventos ou passeios que programou comparecer e o tempo que sua viagem tende a durar.

2 – Cuidado com os erros. Não minta nem omita informações e isso pode acontecer acidentalmente por mal interpretar alguma pergunta no formulário. O processo não é difícil e sim trabalhoso. Para obter o visto canadense raramente são solicitadas entrevistas, como acontece com o visto americano, mas no formulário tem perguntas detalhadas para serem respondidas corretas e objetivamente, porque na fase de apresentar ou anexar a documentação, as informações prestadas devem ser complementares e coerentes com todo o processo.

3 – Documentação correta. O passo seguinte à escolha do visto e o preenchimento do formulário é a separação dos documentos necessários ao requerimento. Dentro das poucas pessoas que têm o visto canadense negado, o principal motivo é número de erros na apresentação da visto canadense negadodocumentação seja por falta de algum item ou dados incorretos. Entre as falhas mais comuns está a falta de cartas, que podem ser do tipo convite para uma temporada no país quando vinda de amigos ou parentes que estão no Canadá, ou cartas de aceitação da instituição de ensino (Letter of Acceptance lá no site da imigração) ou da empresa que receberá o estrangeiro.

A falta de comprovações de recursos financeiros (Proof Means of Financial Support) também impede muitas pessoas de entrar no Canadá. Há quem não ache necessário anexar o Imposto de Renda quando já tem em mãos os extratos bancários que apresentam fundos suficientes para custear todas as despesas. Neste caso, o ditado “quanto mais, melhor” se aplica. Apresente tudo que comprove sua estabilidade, ou condição financeira nos últimos anos e, se for dependente, aja da mesma maneira com os comprovantes do patrocinador, isso faz diferença.

Comprovar os vínculos com o país de origem, no caso o Brasil, é parte de muitos processos de visto pelo mundo. Isso implica em comprovar vínculos empregatícios ou empresariais, com instituições de ensino (quando está cursando um Mestrado, por exemplo), financiamentos existentes (quando está comprometido com pagamento da casa, do carro, por exemplo).

4 – Atenção aos prazos. Outra dica que muitos julgam desnecessária, mas que interrompe muitas aplicações. Existem documentos que precisam de dias ou semanas para chegar às mãos do requerente, seja no Brasil ou no Canadá. É importante se planejar dentro do tempo necessário para receber os documentos antes de matricular-se na instituição de ensino canadense, por exemplo. É prudente ter o máximo de coisas organizadas para dar a entrada na solicitação de visto antes de fechar a matrícula e comprar as passagens. Consultar o que é necessário em “primeira, segunda e terceira instância” para evitar atrasos e a perda dos prazos ajuda muito.

5 – Organização. Todos os passos descritos acima, para darem certos, dependem de atenção e organização do solicitante. Com tudo organizado, os imprevistos podem ser facilmente superados. Durante o processamento do visto, o oficial da imigração pode achar necessário a realização de exame médico; a apresentação de Atestado de Antecedentes Criminais; ou a realização de entrevista, por exemplo.

Uma boa dica também para as pessoas que não têm fluência nos idiomas francês ou inglês, não se sentem seguros em preencher a papelada ou detestam burocracia é contratar um despachante para vistos. Nós ajudamos você neste processo e o orientamos da melhor maneira possível para que não haja empecilhos.

Entre em contato conosco!

 

 

Autor: Alexandre Luis Pedrosa – Já auxiliou milhares de solicitantes a conseguirem seu Visto para o Canadá.

 

 


Alexandre Luis Pedrosa

sobre Alexandre Luis Pedrosa

Já viajou pelo Canadá de ponta a ponta. Sabe tudo sobre o Canadá. Certificado pela Comissão de Turismo Canadense; Especialista em vistos, imigração e sobre o Sistema Educacional no Canadá e Consultor no setor de vistos para diversas agências e empresas do Brasil. Escritor de contos e do E-book "99 atividades e atrações grátis para fazer no Canadá". Um eterno apaixonado pelo Canadá.


Escreva para nós aqui >

44 thoughts on “5 dicas para evitar ter o visto canadense negado

  • Gustavo Fernandes Goulart

    Recentemente tive meu visto negado. O consulado alegou que eu não tinha “laços” suficientes com o Brasil apesar de eu ser casado e ter uma filha, além de estar pagando imóvel e ter carro no meu nome, tudo declarado no imposto de renda. Alegaram que eu não teria condições financeiras de fazer um intercâmbio de um mês lá, mesmo eu tendo apresentado saldo nas minhas contas bancárias várias vezes o valor mínimo necessário, além de eu já ter pago o local para ficar a vista e ter comprovado tudo. Eu estou desempregado, mas assim que eu fui mandado embora eu já dei entrada no intercâmbio com uma empresa de intercâmbio, o fundo de garantia e o restante dos direitos que recebi dava tranquilamente para me custear lá por mais de um mês. Outro ponto que eles alegaram foi que eu não tenho histórico de viagens também. Fiquei muito desapontado com o consulado canadense e agora eu tenho uma outra visão de intercâmbio no Canadá, para mim a imigração deles está igual a americana. Tive que mudar o meu intercâmbio para a Europa e tive R$3000,00 de prejuízo, pois já havia comprado até as passagens de ida e volta. Queria saber qual a condição financeira que é necessária e que tipo de laços são mínimo necessário para poder conseguir tirar um visto canadense.